Você faz ideia do que é estar do outro lado da mesa em uma entrevista? 

 

           por Manuela Sakakihara

 

 

 

     

            Falando sério, você imagina como é estar entrevistando um candidato nesse mundo de desemprego?

         Deixa eu te contar um pouco sobre o que nós, que estamos do lado de cá, sentimos quando entrevistamos os candidatos e não podemos contratá-los (sim, nós temos sentimentos!! rsrs).

         Trabalho nessa área há mais de 10 anos e por diversas vezes fiquei muito triste e angustiada por não conseguir encaixar uma pessoa na vaga do meu cliente. Acreditem, ver as pessoas animadas e dispostas a trabalhar ou mesmo tensas e desesperadas por um emprego, inúmeras vezes me fez ficar triste.

         As vagas possuem especificações que muitas vezes fazem com que tenhamos a obrigação de dizer não. Mesmo que a nossa vontade seja dizer sim! Mesmo que o nosso coração queira contratar aquela pessoa.

         Com o passar dos anos aprendemos que quem manda é a razão, é a técnica de entrevista e (infelizmente em alguns casos) não o coração.

         Com a experiência vemos que acima de tudo precisamos acertar na seleção daquela pessoa e que o perfil a ser encontrado deve bater "quase que 100%" com aquilo que nosso cliente quer. E como é difícil quando simpatizamos com o candidato, como é difícil quando somos empáticos e compreendemos a necessidade dessas pessoas e não podemos ajudar. Como é difícil convencer nosso cliente de que podemos deixar de lado um requisito ou outro para que aquela pessoa que acreditamos estar precisando tanto daquele emprego possa ser contratada!

         Acredito que a maioria dos selecionadores tenha o bom senso de tentar negociar com os clientes quando o candidato é realmente bom, "mas falta somente uma coisinha...". Mas são tantos nãos...

         Enfim, escrevi somente para tentar mostrar um pouco do lado de cá... Críticas e sugestões podem ser encaminhadas por e-mail para manuela@partnergp.com.br